quinta-feira, 29 de abril de 2021

Consumo: Não é uma Brastemp porque...

Costumo sempre compartilhar neste site algumas das minhas aventuras e aprendizados como consumidora. Desta vez, estou urgentemente "precisada" de desabafar sobre a reforma do meu apartamento (comigo dentro + 2 gatos + 1 cachorra). Vocês bem imaginam como deve estar meus nervos... 

O tema deste post é o processo de escolher eletrodoméstico que se encaixem no espaço pequeno de uma cozinha do apê. Qual é a minha conclusão até o momento: é quase impossível comprar os produtos da Brastemp, pois eles são sempre os maiores do mercado: em largura, altura, profundidade e no preço.  

Eu me pergunto a razão da marca ter tantos modelos de um mesmo equipamento, como as geladeiras, quando as medidas entre eles são muito similares. Uma geladeira com pouca profundidade? Não tem. Um forno de embutir a gás pequeno? Não tem.  

forno de embutir Brastemp

E a marca coirmã da Brastemp, a Consul, segue a mesma falta de opções de dimensões menores. Pelo jeito, a Whirlpool faz uma grande caixa de metal para as geladeiras e vai mudando a cor, detalhes e recheios. Mas, não pensa nas pessoas com apartamentos menores (mesmo com essa onda de construção de estúdios). 

Não sou embaixadora da Electrolux e nem estou ganhando $$$ da marca, mas tem sido a única das mais conhecidas na qual encontro itens menores (como geladeira de 60cm de largura ou 70cm de profundidade).  

Você já passou por alguma experiência como essa? 

Aproveite e leia também sobre minha experiência com o cartão presente Renner.

 



terça-feira, 20 de abril de 2021

GE Foundation anuncia doação para ajudar a combater a fome no Brasil

 




A GE Foundation anunciou, no dia 19/04/2021, a doação de US$ 350 mil, o equivalente a quase R$ 2 milhões, por meio de seu programa de auxílio à comunidade no combate ao COVID-19, para a Gerando Falcões, via parceria com a +Unidos, duas organizações comunitárias dedicadas a melhorar a qualidade de vida nas favelas.

A doação apoia a iniciativa de alívio emergencial à Fome, que presta assistência alimentar às famílias no Brasil impactadas pela pandemia de coronavírus. O valor beneficiará mais de 6.600 famílias oferecendo, por dois meses, acesso a alimentos da cesta básica brasileira, tal como arroz, feijão, macarrão e óleo, entre outros. Até o momento, a Gerando Falcões arrecadou US﹩ 2,7 milhões da meta total de captação, que é de US﹩ 4,4 milhões.

"A GE Foundation tem orgulho de trabalhar com a Gerando Falcões e a +Unidos para apoiar as famílias brasileiras que enfrentam desafios sem precedentes trazidos pela pandemia do COVID-19", disse Linda Boff, presidente da GE Foundation e vice-presidente da empresa.

"A pandemia do COVID-19 tem impactado significativamente as comunidades vulneráveis do Brasil, reduzindo o acesso à alimentação básica dessas pessoas que mais precisam de ajuda. Estamos orgulhosos de anunciar este apoio à população brasileira, via + Unidos para a Gerando Falcões, com o objetivo de ajudar acombater a fome. Os desafios são enormes e pedem um engajamento coletivo. Peço a todos que se juntem a nós nesta causa", disse Viveka Kaitila, presidente da GE no Brasil.

"Não poderíamos ter recebido melhor notícia do que o anúncio feito pela GE Foundation em doar US﹩ 350 mil para combater a fome de milhares de pessoas em todo o Brasil. Esse valor, equivalente a R﹩ 2 milhões, nos ajudará a distribuir cestas básicas digitais e a reduzir o sofrimento de famílias que vivem nas favelas. Agradeço à GE por acreditar no nosso projeto e por fortalecer o espírito de solidariedade em todos nós", disse Edu Lyra, CEO e fundador da Gerando Falcões.

"O compromisso da GE Foundation com o Brasil é extremamente relevante e está alinhado às iniciativas do Grupo +Unidos, que se orgulha da criação do Fundo UNA+. Com essa doação, arrecadamos uma quantia superior a R﹩ 10 milhões durante a pandemia. Nosso propósito é mobilizar empresas e viabilizar investimentos privados para suprir as necessidades da população, que se tornou ainda mais vulnerável diante do cenário da pandemia da COVID-19", comenta Daniel Grynberg, diretor executivo do Grupo + Unidos.

A GE e a GE Foundation estão trabalhando para combater a COVID-19 em todo o mundo. A Fundação se comprometeu a dar apoio financeiro ao Fundo de Resposta Solidária COVID-19, da Organização Mundial de Saúde, e ajudou a entregar equipamentos de proteção individual (EPIs) para os trabalhadores de saúde dos Estados Unidos. Além disso, apoia os sistemas de saúde no Sudeste Asiático e na África com treinamentos, infraestrutura e equipamentos.

Saiba mais em http://www.ge.com/about-us/covid-19

terça-feira, 13 de abril de 2021

Brasil ganha “Netflix” da Educação



A educação brasileira já tem a sua Netflix. É a TamanduáEdu, uma plataforma de streaming de vídeos edutaiment, lançada em fevereiro deste ano e que une educação e entretenimento. São mais de 6 mil filmes, séries, desenhos e documentários exibidos em festivais nacionais e internacionais sobre música, arte, cinema, filosofia, educação e sociedade, além de mais de mil peças de jornalismo cultural.

O acervo contou com a curadoria de educadores especialistas responsáveis pelas produções para a TV Escola, TV Cultura, Futura, TV Univesp, canal Curta!, Curta na Escola e MultiRio, nas diversas áreas do conhecimento e continua sendo atualizado com produções atuais e de grande relevância para a educação.

“Todo conteúdo audiovisual está em sintonia com a BNCC, o Enem e atende as novas exigências do Novo Ensino Médio, como formação profissional e as trilhas formativas”, conta o diretor do grupo, Júlio Worcman. Segundo ele, a plataforma foi criada para estar a serviço do professor e o acervo é apresentado em planos segmentados para todas as etapas do ensino básico – infantil, fundamental 1 e 2 e médio - e formação de professores.

Worcman chama a atenção para alguns pontos: O custo da assinatura para as escolas é muito baixo. O acervo é de excelente qualidade, o streaming educacional é inédito no Brasil e escolas, educadores, alunos e suas famílias terão acesso uma vasta coleção de filmes e series classificados por aplicabilidades pedagógicas.

A TamanduáEdu permite que o professor crie seus planos de aula na plataforma associando componentes curriculares, competências e habilidades e descrevendo as situações didáticas. Os educadores também podem criar canais ou coleções de títulos e partilhar os links com seus alunos. A tecnologia utilizada permite a integração de uma rede colaborativa entre gestores, professores e pais, promovendo a exibição de filmes na escola e na família.

A plataforma integra o grupo de mídia Curta! especializado em curadoria de conteúdos relevantes. Também fazem parte do Grupo Curta! o Canal Curta!, disponível para 12 milhões de lares pelas principais operadoras de tv paga, a plataforma de streaming Tamanduá TV e o serviço de vídeo sob demanda Curta!ON- clube de documentários.



sexta-feira, 9 de abril de 2021

Empresas se unem para doar mais de 5 mil concentradores de oxigênio



Equipamentos serão utilizados para o tratamento de pacientes com Covid-19 em suas próprias localidades, evitando o deslocamento e sobrecarga de hospitais; a iniciativa atende a uma chamada pública da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia em apoio ao Ministério da Saúde, a logística dos itens ficará sob responsabilidade do SUS.

Um grupo de 12 empresas se uniu em uma ação coletiva para viabilizar a doação de mais de 5.000 concentradores de oxigênio, que serão utilizados para o tratamento de pacientes com Covid-19 em suas próprias localidades, evitando deslocamentos para outras cidades e, consequentemente, a sobrecarga de hospitais. O concentrador de oxigênio é um equipamento que separa o oxigênio do ar e o fornece ao paciente em um fluxo direto e contínuo, contribuindo para a melhora de sua capacidade respiratória, uma das áreas mais afetadas pelas consequências da Covid-19.

Participam desta iniciativa as seguintes empresas: Bradesco, BRF, B3, Embraer, Gerdau, Grupo Ultra, Itaú Unibanco, Magazine Luiza, Marfrig, Natura & Co, Suzano e Unipar. O Grupo atendeu a uma chamada pública feita pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, em apoio ao Ministério da Saúde, para a aquisição de concentradores de oxigênio. A Air Liquide Brasil, líder mundial em gases, tecnologias e serviços para a indústria e saúde, fez a cotação geral para a importação dos equipamentos, ao custo total de R$ 35 milhões.

O uso dos concentradores doados nesta ação terá papel fundamental no combate à pandemia e consequente desafogamento do sistema hospitalar. Considerando que o tempo médio de uso do aparelho por paciente pode variar entre uma ou duas semanas, a expectativa é de que os mais de 5 mil concentradores atendam, mensalmente, entre 10 mil e 20 mil pacientes. Cada concentrador substitui, em média, 21 cilindros de oxigênio. Juntos, os equipamentos doados suprirão o equivalente a uma produção mensal de 1.100.000 metros cúbicos do insumo, volume que demandaria mais de 108 mil cilindros por mês para ser armazenado. A quantidade de oxigênio fornecida por meio dos concentradores contribuirá ainda para evitar a sobrecarga na capacidade produtiva da indústria de gases.

A praticidade no manuseio é outra característica de destaque no uso dos concentradores. Cada equipamento pesa aproximadamente 15 quilos e necessita apenas de energia elétrica para funcionar. Essas condições facilitam o transporte e uso, inclusive, nas regiões mais remotas do País. A durabilidade também é um diferencial destes equipamentos. Os concentradores doados têm uma vida útil estimada em sete anos.

Os mais de 5 mil concentradores de oxigênio adquiridos nesta ação serão entregues ao Ministério da Saúde, a quem caberá a responsabilidade de fazer a logística de distribuição dos equipamentos. A expectativa é que os aparelhos sejam enviados aos seus locais de destino no decorrer do mês de abril.

Com essa iniciativa coletiva, as empresas somam seus esforços no enfrentamento à pandemia de Covid-19, em um de seus momentos mais agudos no Brasil. As companhias participantes desta ação estão comprometidas com os esforços da sociedade para salvar vidas e com o apoio ao Poder Público, em suas diferentes esferas, nas ações de superação à crise sanitária.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Corredor Ecológico de Mata Atlântica na região do Pontal do Paranapanema ganhará mais 118 mil mudas até 2022

 


Investimento de R$ 2 milhões realizado pela Atvos em 181 hectares beneficiará população de micos-leões pretos. Mais de 184 mil mudas foram plantadas.

Comprometida em viabilizar o maior corredor ecológico já implantado na Mata Atlântica no interior do estado de São Paulo, a Atvos, empresa de bioenergia, deverá concluir, em parceria com o IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, o plantio de mais de um 300 mil de mudas até 2022. Mais de 184 mil árvores nativas foram plantadas em 110 hectares, o que representa seis quilômetros adicionais aos 12 quilômetros do maior corredor já reflorestado no bioma, no Brasil. A empresa também está disponibilizando uma área de 619 hectares para reflorestamento.

Com a conclusão da restauração florestal, o trecho será transformado em área de conservação para que integre oficialmente a Estação Ecológica Mico-Leão Preto. "O plantio das árvores nativas estimula a regeneração natural da região e torna realidade o Mapa dos Sonhos. Esta é uma prova de que o agronegócio pode coexistir com as questões ambientais e contribuir para a fauna e flora", reforça Marcelo Annes, superintendente da Atvos.

O Mapa dos Sonhos, criado pelo IPÊ, corresponde a um mapa com as áreas estratégicas a serem plantadas na Mata Atlântica local, promovendo a reconexão da floresta e conservando animais ameaçados como o mico-leão-preto e a anta brasileira. Muitas das áreas identificadas como importantes estão localizadas dentro de propriedades privadas, por isso, a importância de realizar parcerias para os plantios florestais. O mapa orienta o plantio dos chamados Corredores para a Vida. Um dos corredores, com 2,4 milhões de árvores, interliga as duas maiores unidades de conservação da Mata Atlântica do interior paulista, o Parque Estadual do Morro do Diabo e a Estação Ecológica do Mico-Leão Preto.

"O projeto Corredores para a Vida, que foi integrado ao Programa Nascentes do Governo do Estado de São Paulo, melhora o trânsito dos animais, amplia a área disponível para que a população de micos-leões pretos possa crescer. Também contribui para o clima, para a conservação da biodiversidade e para geração de renda de comunidades que prestam serviços florestais e de comercialização de mudas de viveiros comunitários para a realização da ação", detalha Laury Cullen Jr., coordenador de projetos e pesquisa do IPÊ.

A Atvos otimizou parte do cultivo de cana-de-açúcar de forma a disponibilizar um trecho fundamental para a conexão entre as áreas verdes. Além da restauração florestal com 81 espécies diferentes de flora nativa, a empresa está realizando a conservação do solo, totalizando um investimento de R
2 milhões. 

O processo de recuperação se inicia com a localização e o mapeamento da área e, após o diagnóstico ambiental, o solo começa a ser preparado juntamente com a infraestrutura logística e acondicionamento de mudas. Somente então é feito o plantio e irrigação das mudas, seguida de uma manutenção que inclui controle de plantas competidoras e de insetos, como formigas. Quando necessário, é feito o replantio e, na fase final, a equipe monitora a regeneração durante pelo menos três anos.



Sobre a Atvos

É uma empresa de bioenergia que produz etanol, açúcar VHP e energia elétrica a partir da cana-de-açúcar. Conta com unidades agroindustriais que atuam no modelo de economia circular pelo aproveitamento dos subprodutos como insumos de produtos, o que permitiu cogerar 2,8 mil gigawattshora de energia elétrica renovável. A Atvos favorece ainda a recuperação do solo degradado com o plantio da cana e aumento do estoque de carbono. No total, a companhia abrange mais de 200 mil hectares de áreas preservadas e reservas legais, nos quatro estados onde atua. Por meio de seus produtos e atividades, na safra 2019/2020, contribuiu para que 5,6 milhões de toneladas de gás carbônico deixassem de ser emitidos. A companhia tem mais de 9 mil integrantes, atuando nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

 

quarta-feira, 7 de abril de 2021

No Dia Mundial da Saúde, SulAmérica deixa de anunciar em publicidade para lançar uma ação social que busca oferecer apoio psicológico a familiares de internados, vítimas da COVID-19 e profissionais da linha de frente

 



Por meio de uma parceria com a Psicologia Viva, expectativa é auxiliar
35 mil pessoas

A SulAmérica anuncia hoje, no Dia Mundial da Saúde, uma ação social focada em apoiar familiares de internados e vítimas da COVID-19 e profissionais da linha de frente do combate à pandemia. Este movimento é uma ação social emergencial para apoiar quem mais precisa. "Não é hora de fazer publicidade, e sim de ajudar a melhorar a vida das pessoas de alguma forma", afirma Simone Cesena, diretora de marketing da SulAmérica.

A partir do próximo dia 12, serão oferecidos atendimentos psicológicos, gratuitamente, por meio de uma parceria criada especialmente para esta ação social com o Psicologia Viva. A expectativa é atender 35 mil pessoas que não tenham acesso a este tipo de serviço e precisam de apoio emocional durante este momento tão difícil pelo qual o país (e o mundo) está passando.

"Os problemas com a saúde emocional têm aumentado exponencialmente por causa da pandemia. Temos visto o quanto as pessoas precisam de auxílio e, por isso, estamos lançando esta ação social com nosso parceiro Psicologia Viva. Estar bem emocionalmente é fundamental para manter as saúdes física e financeira em equilíbrio, pois está tudo conectado", afirma Patrícia Coimbra, vice-presidente de Capital Humano e Sustentabilidade da SulAmérica.

"Sem dúvida, a saúde emocional continua sendo muito afetada na pandemia. Entre nossos beneficiários, saltamos de 500 atendimentos de setembro a dezembro de 2019 para 50 mil no mesmo período em 2020. No ano de 2020, foram quase 90 mil atendimentos, dos quais 53% eram casos de ansiedade, seguido por depressão (15,5%) e estresse (8%)", afirma Raquel Imbassahy, superintendente de Serviços Médicos da SulAmérica. "Somos uma empresa que olha a saúde das pessoas de forma integral, por isso não podemos deixar de pensar na população em geral fazendo esse gesto de apoio nesse momento de emergência social."

Todos os atendimentos serão realizados de forma virtual para todo país, com agendamento prévio, por psicólogos do Psicologia Viva que estarão disponíveis até o dia 11 de maio. Cada pessoa poderá participar de até três sessões, que serão sugeridas pelos psicólogos. Ao entrar no sistema do Psicologia Viva para agendar sua sessão, o participante preencherá um cadastro simples e poderá escolher o profissional que fará seu atendimento, a partir de um descritivo de cada psicólogo. Mais informações sobre a ação social, acesse http://www.sulamericasaudeintegral.com.br .