sexta-feira, 29 de abril de 2022

Atento implementa canal de apoio para pessoas em situação de violência doméstica, familiar ou contra mulher

A Atento, empresa líder de serviços de relacionamento com o cliente e terceirização de processos de negócio (CRM/BPO) na América Latina e um dos cinco maiores provedores em nível mundial, com objetivo de ampliar o acolhimento e a promoção de bem-estar aos seus colaboradores, criou um canal de apoio psicossocial a pessoas em situação de violência doméstica, familiar ou contra a mulher..
Dona Lila é o avatar
criado para humanizar
o processo

Batizado de “Dona Lila”, o canal online funciona 24/7 e, desde agosto de 2021, oferece apoio para pessoas em situações de violência, por meio do programa Atento Social, que presta atendimento individualizado realizado por assistentes sociais e psicólogas com total confidencialidade e sigilo ao longo de todo o processo. O canal é direcionado para o público interno. A empresa conta com 75 mil colaboradores no Brasil.

"Para nós da Atento, um dos papéis das empresas é ajudar a transformar a sociedade. Por isso, trabalhamos constantemente pela equidade, bem-estar e saúde de nossas pessoas. Neste contexto, por exemplo, quase 70% da companhia são mulheres que buscamos empoderar com programas de conscientização para toda a empresa”, Ana Marcia Lopes, vice-presidente de Pessoas e Responsabilidade Social da Atento no Brasil.

Para um atendimento mais humano, foi criado um avatar para o Dona Lila, que reflete uma senhora de 64 anos que representa a essência da mulher brasileira e colaboradora do Grupo Atento: estilosa, bem resolvida, carismática, empoderada e disruptiva. Desde o início, a ideia era trazer uma figura com experiência e vivência, com objetivo de influenciar as pessoas de forma positiva.

“O canal é aberto para que todas as pessoas possam compartilhar seus problemas. Acreditamos que o espaço auxilia na conscientização e traz para discussão questões tão importantes e que acometem a sociedade diariamente”, finaliza Lopes.

Vale ressaltar que, desde 2018, a Atento trabalha com campanhas de esclarecimento e orientação ao combate à violência com cartilhas que possibilitam um melhor entendimento do tema e orientações de acesso aos serviços públicos de atendimento a vítimas de violência doméstica, familiar e contra a mulher.

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Samsung abre inscrições para 9º edição do Solve For Tomorrow no Brasil

Iniciativa global da área de cidadania corporativa tem o objetivo de estimular alunos e professores da rede pública de ensino e desenvolverem soluções inovadoras para demandas locais; confira o cronograma completo




A Samsung anuncia a abertura das inscrições para a 9ª edição brasileira do Solve For Tomorrow. O programa, que tem coordenação geral realizada pelo Cenpec, estimula alunos e professores da rede pública de ensino a desenvolverem soluções para demandas locais usando a abordagem STEM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática). O lançamento oficial da nova edição do programa ocorreu no FEBRACE Talks na última segunda-feira (25), e foi transmitido no canal da FEBRACE no Youtube .

No Brasil desde 2014, o Solve For Tomorrow é uma iniciativa global da área de cidadania corporativa da Samsung que já envolveu mais de 165 mil estudantes, mais de 23 mil professores e mais de 5 mil escolas públicas, com quase 10 mil projetos inscritos em suas oito edições. Em 2021, mesmo com o distanciamento social, o programa atraiu 2.130 estudantes, 2.374 professores e 461 escolas públicas de todo o país, tendo educação, infraestrutura urbana ou rural e saúde como temas mais explorados.

Na edição anterior, os vencedores nacionais foram alunos da Escola Estadual Professor Sebastião de Oliveira Rocha, localizada na cidade de São Carlos, interior paulista. O projeto tinha o objetivo de reaproveitar as sobras de comida da escola para produzir biogás. Para isso, os alunos usaram materiais de baixo custo para projetar um biodigestor, equipamento que acelera a decomposição de matérias orgânicas. Além disso, a equipe desenvolveu um aplicativo para ajudar as merendeiras a calcularem a quantidade de alimentos e, consequentemente, reduzir o desperdício.

“O Solve For Tomorrow contribui para que alunos do ensino público desenvolvam suas habilidades, ao mesmo tempo em que colaboram com o desenvolvimento da sociedade onde vivem. Tudo por meio da abordagem STEM”, explica Anna Karina Silva Pinto, Diretora de Marketing Corporativo da Samsung Brasil. “Com esses objetivos em mente, as equipes são convidadas a desenvolver um protótipo como solução inteligente para resolver um problema ou demanda local, usando sua criatividade e o conhecimento adquirido em sala de aula”.

Segundo Anna Helena Altenfelder, Presidente do Conselho de Administração do Cenpec, a 9ª edição mantém o formato pelo qual o programa ficou conhecido no Brasil e traz algumas novidades nos processos de formação e seleção. “Em 2022, teremos ações de mentoria já na fase de inscrição, com pílulas pedagógicas em vídeo, webinar e tutoria remota para a elaboração dos projetos. Também estabelecemos um critério regional para a escolha dos semifinalistas, de forma que haja representantes de todas as regiões brasileiras. São ações alinhadas com nosso objetivo de promover a equidade e qualidade na educação pública brasileira”, conta.

Para o Solve For Tomorrow, podem ser inscritos grupos de 3 a 5 estudantes com um professor orientador, que esteja lecionando para os alunos da equipe em disciplinas relacionadas a Ciências da Natureza ou da Matemática e suas Tecnologias. As inscrições devem ser realizadas pelo professor orientador através do site https://respostasparaoamanha.com.br/ ou pelo aplicativo do programa até o dia 30 de junho.

A edição brasileira do Solve For Tomorrow conta com uma rede de parceiros, como a representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO no Brasil), da Rede Latino-Americana pela Educação (Reduca) e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), além do apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

Confira o cronograma da 9ª edição do Solve For Tomorrow no Brasil



25 de Abril a 30 de junho: Inscrições, com webinário, tutoria on-line e vídeos para auxiliar as equipes inscritas



1 de julho a 3 de agosto: Avaliação e seleção dos projetos que cumpriram os critérios de participação



4 de agosto: Anúncio dos Semifinalistas



5 a 30 de agosto: Os 20 semifinalistas devem preencher o formulário que detalha o desenvolvimento do projeto



8 de agosto a 8 de setembro: Mentorias aos semifinalistas



9 de setembro: Anúncio dos finalistas



12 de setembro a 18 de outubro: Mentorias aos finalistas



7 a 19 de outubro: Votação para definir vencedores do Júri Popular



20 de outubro: III Mostra Solve for Tomorrow, em que as equipes finalistas apresentam seus projetos para a Banca Julgadora Cientista para o Amanhã



20 a 26 de outubro: Avaliação da Banca Julgadora para definir vencedores nacionais durante a III Mostra Solve for Tomorrow Brasil



27 de outubro: Cerimônia de anúncio dos Vencedores Nacionais e no Júri Popular e Premiação

Premiação dos semifinalistas, finalistas e ganhadores



Pré-seleção - Professor Orientador1: 01 (um) kit maker/arduino.



Pré-seleção - Destaque Estadual2: o gestor escolar (diretor) com maior número de inscrições, sendo no mínimo três, em cada unidade federativa. Será contemplado com 01 (um) tablet Samsung.



Semifinalistas: O professor orientador e, eventualmente, o professor parceiro de cada um dos 20 projetos semifinalistas serão contemplados com 1 tablet Samsung.



Finalista: 01 (um) tablet Samsung para cada um dos 5 (cinco) alunos das 10 (dez) equipes finalistas.



Finalista: 01 (um) notebook Samsung para cada um dos professores orientadores e parceiros dos 10 (dez) projetos finalistas.



Vencedores pelo Júri Popular: os 5 (cinco) alunos de cada uma das 3 (três) equipes selecionadas pelo público, e seu respectivo professor orientador e parceiro, serão contemplados, cada um, com 1 (um) fone de ouvido Samsung BUDs.



Vencedores Nacionais: cada escola desses projetos será contemplada com duas Smart TVs de 55 polegadas da Samsung.



1º lugar: 1 smartphone Galaxy da Serie S + 1 Smart TV 55” Samsung para cada aluno da equipe vencedora.

2º lugar: 1 notebook Samsung + 1 Smart TV 55” Samsung para cada um dos alunos da equipe vencedora.

3º lugar: 1 smartwatch Samsung + 1 Smart TV 55” Samsung para cada um dos alunos da equipe vencedora.

Conheça os vencedores de edições anteriores

8ª edição (2021)

EE Professor Sebastião de Oliveira Rocha
TESLA - Reaproveitamento de resíduos orgânicos para a produção de biogás

São Carlos/SP



7ª edição (2020)
EEEP Edson Queiroz
Vespertílio 01- robô semeador para a agricultura familiar
Cascavel (CE)



6ª edição (2019)
EEMTI Marconi Coelho Reis

Desenvolvimento de biofilme a partir da Psidium guajava para aplicações diversas

Cascavel (CE)



5ª edição (2018)
IFRS – Campus Osório

BCA: biossorvente da casca de arroz para remoção de metais da água de poço do litoral norte gaúcho

Osório (RS)



4ª edição (2017)
EIEEFM Sertanista José do Carmo Santana

Plantas medicinais do Povo Paiter: resgatando o conhecimento tradicional

Cacoal (RO)



3ª edição (2016)
ETEC Eng. Agrônomo Narciso de Medeiros

Projeto Implantação do cultivo de palmito juçara e pupunha pela cooperativa dos alunos, para reflorestamento de mata atlântica e geração de renda para a aldeia indígena Itapuã – Tupi Guarany no Vale do Ribeira – SP

Iguape (SP)



2ª edição (2015)
Colégio Estadual Dom Veloso
Avaliação da atividade da moringa oleífera no tratamento da água na zona rural
Itumbiara (GO)



1ª edição (2014)
EE Tristão de Barros
Equilíbrio – para uma inclusão sustentável e um meio ambiente melhor
Currais Novos (RN)

SERVIÇO

Solve For Tomorrow 2022

Inscrições: https://respostasparaoamanha.com.br/

Prazo final das inscrições: 30 de junho de 2022

Investimento: Gratuito

Público: Alunos do Ensino Médio de escolas públicas das redes municipais, estaduais e federais, e professores de Biologia, Física, Química e Matemática ou outras disciplinas pertencentes às áreas das Ciências da Natureza e da Matemática e suas Tecnologias, atualmente lecionando para esses estudantes.

Formação das equipes: 3 a 5 estudantes do Ensino Médio, matriculados na mesma turma/classe, a quem o professor orientador e o professor parceiro lecionem. As turmas devem ser compostas por alunos dos sexos masculino e feminino, dando atenção à diversidade.

Especificações dos projetos: o projeto deve focar necessariamente questões relacionadas às áreas das Ciências da Natureza e da Matemática e suas Tecnologias.

Professor orientador: A inscrição só pode ser feita pelo professor orientador, que obrigatoriamente deverá lecionar, à equipe participante, disciplinas nas áreas das Ciências da Natureza ou da Matemática e suas Tecnologias.

Professores parceiros: até 1 docente das áreas das Ciências Humanas e suas Tecnologias, e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias podem participar como parceiros do projeto. Esse professor deve lecionar à equipe participante e ser indicado pelo professor orientador no ato da inscrição.

1 Serão contemplados os 100 (cem) primeiros Projetos que concluírem a Primeira Etapa da inscrição com o aceite ao Regulamento e que forem considerados compatíveis com as regras e aptos para seguirem no processo de seleção. O prêmio corresponde a 01 (um) kit maker/arduino para o Professor Orientador, a ser contemplado uma única vez, sendo que uma mesmo escola poderá ter mais de um Professor contemplado.

2 A instituição de Ensino da unidade federativa que tiver o maior número de inscrições, sendo no mínimo 03 (três) inscrições realizadas nos termos deste Regulamento, será considerada Destaque Estadual como Escola Mobilizadora, e o Gestor Escolar (diretor) será contemplado com 01 (um) Tablet Samsung. No caso de empate, a data de submissão/envio dos Projetos será considerada critério de desempate.

quarta-feira, 27 de abril de 2022

FedEx lança 6ª edição do programa de incentivo a micro e pequenas empresas no Brasil

Os vencedores receberão até R$ 175 mil e mentoria de negócios

A FedEx Express, subsidiária da FedEx Corp. (NYSE: FDX) e a maior empresa de transporte expresso do mundo, acaba de abrir inscrições para a 6ª edição do Programa FedEx para Micro e Pequenas Empresas, que visa a impulsionar a expansão de negócios de micro e pequenos empreendedores. Além de terem a chance de receber até R$ 175 mil, os três primeiros colocados também contarão com mentoria voltada a gestão e negócios, conduzidas pelo investidor Renato Mendes. O resultado do programa será divulgado no dia 4 de agosto. As inscrições vão até o dia 10 de julho e podem ser feitas gratuitamente no site.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o aumento no número de micro e pequenos negócios abertos em 2021 foi de 30%, o maior desde 2018. Também houve crescimento no varejo digital, onde pequenas e médias empresas movimentaram R$ 2,3 bilhões, 77% a mais que em 2020, segundo levantamento realizado pela NuvemShop. Por outro lado, cerca de 1 milhão de empreendedores brasileiros fecharam as portas em 2021, conforme aponta o relatório Global Entrepreneurship Monitor. A taxa de encerramento das atividades de microempresas e de pequenas empresas é de 21,6% e 17%, respectivamente, segundo o Sebrae.

"Os micros e pequenos empreendimentos representam um pilar importante para a economia brasileira e são essenciais para a FedEx. Nós trabalhamos para que tenham acesso às mesmas oportunidades de mercado que as grandes empresas têm", diz Cristiano Koga, vice-presidente de Vendas para a América do Sul na FedEx Express. A edição deste ano do programa vai premiar o primeiro colocado com R$ 175 mil, o segundo com R$ 100 mil e o terceiro com R$ 75 mil, além da mentoria de negócios.

Virada de chave


A Paraoil, localizada no Pará, é um exemplo de como o concurso pode ajudar as empresas a alçarem voos maiores. Especializada na extração de óleos e manteigas naturais à base de sementes da Floresta Amazônica, a empresa passou a exportar seus produtos para os EUA, Canadá, Austrália e Japão depois de ser contemplada com o terceiro lugar na edição de 2021 do programa da FedEx. "A demanda já existia há algum tempo, mas não sabíamos como levar nossos produtos para o exterior. Contar com a consultoria de um operador logístico como a FedEx foi fundamental nesse processo," conta Gilberto Hirokazu Nobumasa, fundador e presidente da Paraoil. "A FedEx retira a carga na nossa porta em nosso centro de distribuição em Belém, e entrega no endereço dos nossos clientes", complementa.

Em 2021, as exportações representaram 20% da receita da Paraoil. Para 2022, Gilberto prevê dobrar esse percentual e chegar a 40%. Somente no primeiro trimestre deste ano, a empresa já exportou 250kg de manteiga e está negociando com potenciais clientes da Espanha e de Cabo Verde. Com o sucesso das negociações, a Paraoil passará a exportar seus produtos vindos da Amazônia para quatro continentes.

Com o crescimento da empresa, a comunidade local também foi positivamente impactada. A Paraoil adquire as sementes de pequenos produtores locais que trabalham de forma sustentável, com a consciência de que a floresta é mais rentável permanecendo conservada. Com o aumento da demanda de exportação, dobrou o número de fornecedores da empresa. Além disso, a Paraoil comercializa seus produtos para outros pequenos e médios empreendedores que, segundo Gilberto, são, em grande parte, mulheres que trabalham com cosmética natural em diferentes partes do Brasil. O transporte nacional também é fornecido pela FedEx. "A parceria com as microempreendedoras tem sido essencial, ainda mais em tempos de pandemia, quando muitas se viram desempregadas da noite para o dia. Nosso foco não está em fornecer para grandes empresas, mas no trabalho para ajudar as pequenas a se tornarem grandes", explica.

Segundo Hirokazu, a Amazônia Legal tem um potencial de bionegócios incrível, mas pequenos empreendedores sempre encontram dificuldades pelo caminho, principalmente do ponto de vista logístico. "Por isso, sempre digo que o concurso da FedEx é uma virada de chave particularmente importante para os pequenos negócios que tanto precisam de apoio. O prêmio e a consultoria oferecidos aos vencedores têm real potencial para mudar a trajetória de uma empresa", finaliza.

Lançado pela primeira vez nos EUA em 2012, o Programa FedEx para Micro e Pequenas Empresas já foi expandido para outros mercados como México, Brasil, Colômbia, Argentina, Chile, Guatemala e República Dominicana.


Serviço

Programa FedEx para Micro e Pequenas Empresas

O que é: Premiação que visa impulsionar a expansão de negócios de micro e pequenos empreendedores

Inscrições: de 11 de abril de 2022 a 10 de julho de 2022

Quem pode se inscrever: Micro e Pequenas empresas com fins lucrativos, que possuam até 99 funcionários, baseadas no Brasil, com CNPJ ativo, atividade ininterrupta por pelo menos 6 meses e não serem franquias. Além disso, devem ter receita de até R$ 4.800.000 durante o seu último ano fiscal completo e não podem ser vencedoras de versões anteriores do Programa.

Mais informações: https://br.smallbusinessgrant.fedex.com/

terça-feira, 26 de abril de 2022

Tembici anuncia 2ª edição do "Vai Longe", programa de aceleração que apoia projetos sociais de fomento ao uso da bike

Em 2021, foram inscritos 40 projetos e três selecionados; este ano, a verba disponibilizada dobrou para R$ 100 mil




Após o sucesso da estreia, a Tembici - líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina - anuncia a segunda edição do “Vai Longe”, programa de aceleração de projetos que promove e estimula o uso da bicicleta nas cidades. Este ano, a verba, que poderá ser dividida para até quatro propostas, será de R$ 100 mil, o dobro do valor disponível em 2021. Além disso, enquanto o programa anterior disponibilizou as categorias “educação e conscientização” e “promoção ao uso da bicicleta”, a nova etapa incluiu também a categoria “transformação das cidades”.

“A edição de estreia teve um impacto muito positivo, os projetos selecionados estão realizando trabalhos incríveis em prol de uma mobilidade mais democrática, eficiente e sustentável. Nos relacionamos com diversas instituições e pessoas, seja com apoios e investimentos ou em ações em prol de fomentar o uso da bicicleta e sua importância para o planeta. O programa de aceleração vem para contribuir ainda mais com esse propósito”, comenta Carolina Rivas, CIO da Tembici, responsável pelos assuntos de impactos ambientais da empresa.

A primeira edição contou com 40 projetos inscritos, de dez cidades diferentes, com três selecionados, que, de acordo com seus escopos e necessidades, dividiram o prêmio de R$50 mil para implementações e execuções. O “Vai Longe” é parte da agenda ESG da Tembici, em parceria com a Associação Transporte Ativo, organização da sociedade civil voltada para qualidade de vida através da utilização de meios de transportes à propulsão humana.

“Acreditamos muito no potencial de projetos que podem ampliar o uso da bike e queremos dar a oportunidade de saírem do papel e fazerem a diferença para cada vez mais pessoas e para as cidades”, conclui a executiva.

Além do cumprimento dos requisitos de documentação e adequação ao escopo de atuação, o comitê de especialistas da Tembici e da Transporte Ativo, utilizarão para os critérios de avaliação: Viabilidade técnica, Viabilidade financeira, Diversidade e Acessibilidade, Potencial de impacto, Sustentabilidade, Criatividade e Inovação.

“O programa é uma excelente oportunidade para tornar real aquela ideia sensacional, que por muitas vezes não se viabiliza por falta de recursos. A primeira edição em 2021 mostrou isso, três projetos maravilhosos se tornaram realidade e agora seguem firmes. A segunda edição, também promete projetos que apresentem soluções eficazes para melhorar a mobilidade em nossas cidades”, comenta José Lobo, fundador da Transporte Ativo.

Como fazer parte

Podem participar do processo de seleção proponentes pessoas físicas ou jurídicas, sendo grupos, coletivos ou classe acadêmica que possuem projetos ainda não iniciados ou com início nos últimos 12 meses, que sejam concluídos em 2022 voltados à temática do edital. Confira todas as regras e se inscreva aqui.

Interessados podem realizar a inscrição até 01/05 e os resultados serão divulgados no dia 13/05.


Conheça os projetos vencedores da 1a edição

O “BikeFavela - Com atuação em São Paulo, a Oficina de ciclocidadania” tem como objetivo principal fomentar um uso “empoderador” da bicicleta entre públicos socialmente vulneráveis. Não se trata apenas de ensinar a pedalar nas cidades, mas sim, de formar pessoas “ciclocidadãs”. Para isso, estão sendo formados seis ciclos de formação com turmas prioritariamente compostas por residentes das favelas da região, mulheres, pessoas negras, com mais de 50 anos e comunidade LGBTQI+.

Também em São Paulo, mas com capilaridade para todo o país, o projeto “Bike Anjas Multiplicadoras - Formação virtual para mulheres”, assim como o primeiro citado, venceu a categoria Educação e Conscientização e busca instruir mulheres a pedalarem de acordo com as leis de trânsito, e oferece dicas de conforto e segurança com ciclistas experientes, por meio de ações e cursos de capacitação.

E na categoria que promove o uso da bicicleta, o “Roteiro Digital - Autoguiado da La Ursa Tour”, com operação em Recife, visa a automatização de pedaladas guiadas utilizando bicicletas compartilhadas com orientações e dicas por meio de gravações e textos, além de informações históricas.

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Empresa transforma processos e deixa de destinar 275 toneladas de lixo por ano para aterro sanitário

Com projeto de aterro zero, os resíduos produzidos são reutilizados, sendo destinados para reciclagem ou para combustão em fornos para produção de cimento

O material descartado pelas indústrias pode servir de combustível para geração energética, evitando envio para aterros e lixões, prejudiciais ao meio ambiente. Em duas fábricas de Curitiba, 275 toneladas de lixo produzidas em um ano, que antes eram em sua maioria encaminhadas para aterros sanitários, agora são enviadas para reciclagem, além de servir como material para combustão e produção de cimento.

A indústria Neodent, com duas plantas fabris na Cidade Industrial de Curitiba, iniciou o ano de 2022 como uma empresa aterro zero. O projeto para destinação sustentável dos resíduos começou em 2019 com o monitoramento da quantidade de material descartado e, no final do ano passado, com as autorizações ambientais para a destinação correta, passou a destinar 100% do resíduo ou para a reciclagem ou para o coprocessamento.

Lixo de duas indústrias agora é encaminhado
como material para combustão e produção de cimento
Crédito: Divulgação Neodent

Em 2020, foram enviadas 275 toneladas de resíduos para aterro sanitário, o que representava 41% do total de resíduos gerados. Em novembro de 2021, essa quantidade já estava reduzida para 117 toneladas e esse número seguiu caindo até o envio total para coprocessamento. “Implantamos diversas ações de melhoria internas em 2021, desde a coleta seletiva do resíduo até alterações na infraestrutura, o que permitiu iniciarmos 2022 sendo uma empresa lixo zero. Sabemos da nossa responsabilidade na destinação correta do lixo e, mesmo em um período de forte expansão, trabalhamos para produzir cada vez mais, com menos impacto para o meio ambiente”, comenta o CEO da Neodent e EVP do Grupo Straumann na América Latina, Matthias Schupp.

Diariamente, a empresa KWM faz a separação do resíduo nas fábricas. Os recicláveis - como papel, papelão ou plástico - servem de matéria-prima para outras indústrias. Já os resíduos orgânicos - como estopa, pano, luva, toucas, ou materiais contaminados com óleo ou produtos químicos - são enviados para empresa especializada em coprocessamento. Essa tecnologia transforma o material para processo de combustão em fornos que produzem cimento. Ao invés de usarem carvão, diesel ou gás para a geração de calor, esses fornos utilizam resíduos industriais, que possuem alto poder de combustão.

Emissão de gases

Hoje, 100% do resíduo das indústrias vai
 ou para a reciclagem ou para o coprocessamento
Crédito: Divulgação Neodent

Além da destinação inteligente dos resíduos, o monitoramento da emissão de gases causadores de efeito estufa é o primeiro passo para redução desse dano. As fábricas Neodent e ClearCorrect, em Curitiba, iniciaram em 2020 o controle de emissões diretas - pelas quais as empresas são completamente responsáveis, como gases refrigerantes de ar-condicionado e queima de gás diesel nos geradores de energia -, emissões indiretas - causadas pelo sistema interligado de energia brasileiro (SIN) utilizado nas indústrias – e emissão de terceiros, como parceiros ou empresas das quais utilizam o serviço.

O monitoramento garantiu para ambas as empresas o Selo Ouro no primeiro inventário de emissões (2020), por meio do Selo Clima Paraná, uma ação do governo paranaense para redução das emissões das indústrias. “Com o relatório de emissões, estamos planejando mudanças em nossos processos para conseguir diminuir significativamente a emissão de gases, principalmente de CO2e, nos próximos anos”, explica Guilherme Stival, Gerente de Sustentabilidade da Neodent.

quarta-feira, 20 de abril de 2022

Pravaler apresenta projeto de contação de histórias em escolas públicas de São Paulo

O Proseadeiras, criado pela companhia A Hora da História, iniciou em março apresentações gratuitas ao público de todas as idades, em 13 regiões da capital paulista






Para se ter sucesso no ensino superior, uma educação básica de qualidade é fundamental. Pensando nisso, o Pravaler, principal plataforma de acesso e soluções para o ecossistema de educação do Brasil, apresenta Proseadeiras, projeto artístico e social que, por meio de uma contação itinerante de histórias, promove a educação nas ruas, comunidades e escolas públicas da cidade de São Paulo.

“Nosso objetivo é contribuir com a geração de valor para a sociedade, baseada no propósito de transformar vidas por meio da educação. Por isso, o Pravaler apoia essa iniciativa, que tem como meta alcançar diretamente cerca de 4.740 crianças, jovens e adultos da comunidade e alunos das escolas visitadas”, destaca Rafael Baddini, sócio-diretor de Estratégias e Negócios da edfintech. Ao todo, serão contempladas 13 diferentes regiões da cidade de São Paulo, com 23 apresentações abertas à comunidade e em escolas públicas.

O Proseadeiras integra o portfólio da companhia A Hora da História, responsável por diversos projetos na área das artes cênicas e que, além da contação de histórias, atua com espetáculos teatrais, intervenções artísticas e poético-musicais, oficinas arte educativas e de formação de contadores de histórias.

As apresentações nas escolas públicas da capital paulista tiveram início em março deste ano e devem seguir até o início de junho. Em média, estão previstas cerca de seis sessões de contação de histórias por mês com contos de renomados autores brasileiros como Monteiro Lobato, Stanislaw Ponte Preta, Machado de Assis e também divertidos contos populares, além de músicas, trava-línguas e parlendas, sempre com foco no incentivo à leitura. As escolas contempladas também receberão gratuitamente um kit de livros paradidáticos para integrar seu acervo.

Abaixo estão algumas das próximas sessões. A programação completa está disponível para o público geral no Instagram da companhia: @ahoradahistoria.



Dia 26 de abril de 2022 - terça-feira

EE DOUTORA ROSA PAVONE PIMONT

Apresentação fechada e gratuita para os alunos do Ensino Fundamental I

das 10h às 11h30 e das 13h às 14h30



Dia 27 de abril de 2022 - quarta-feira

EMEF FRANCISCO REBOLO

Apresentação fechada e gratuita para os alunos do Ensino Fundamental I

das 8h15 às 9h45 e das 10h às 11h30



Dia 16 de maio de 2022 - segunda-feira

EE SAPOPEMBA

Apresentação fechada e gratuita para os alunos do Ensino Fundamental II

das 13h15 às 14h45 e das 15h15 às 16h45.



Dia 02 de junho de 2022 - segunda-feira

CEU EMEF PROF. MARA CRISTINA TARTAGLIA SENA

Apresentação fechada e gratuita para os alunos do Ensino Fundamental I

das 14h às 15h30 e das 16h15 às 17h45.



Sobre o Pravaler - O Pravaler é a principal plataforma de acesso e soluções para o ecossistema de educação do Brasil. A companhia foi a primeira fintech fundada no País e está entre as mais importantes, segundo estudo publicado pela KPMG. Com processo de contratação de seus serviços 100% online e zero burocrático, o Pravaler tem como filosofia gerar oportunidades educacionais, potencializando o que há de melhor na sociedade. A empresa atua no mercado há 20 anos, tem entre seus principais acionistas o Banco Itaú e em 2021 fez sua primeira aquisição com o objetivo de ampliar seu portfólio de produtos e serviços. Em 2020 e 2021, foi listada entre as empresas que crescem mais rápido nas Américas pelo Financial Times. Com faturamento de 270 milhões e mais de 300 colaboradores apaixonados por educação, o Pravaler tem a meta ousada de ampliar o acesso à educação e beneficiar um milhão de alunos até 2025, contribuindo para a transformação da vida de muitas famílias.

terça-feira, 19 de abril de 2022

O papel da mídia nas fraudes corporativas: o caso de Elizabeth Holmes e da Theranos


*Por Chris Santos


O ano de 2022 começou com a divulgação da condenação por fraude da empresária Elizabeth Holmes, fundadora de uma empresa que prometeu uma revolução tecnológica na área da saúde a partir do desenvolvimento de uma máquina que faria mais de 200 exames a partir de uma gota de sangue.

Até chegar a esse final e ao desmascaramento de seu golpe, Elizabeth atraiu vultosos investimentos e, conforme está escrito em matéria no Valor Econômico, do dia 09/01/2022, esta é a “história de como uma jovem bonita e bem falante conseguiu enganar quase todo mundo por mais de dez anos” e que chegou a ser capa de várias revistas internacionais e comparada com o fundador da Apple Steve Jobs.

Essa história pode ser analisada de diferentes perspectivas, mas a que quero abordar aqui é exatamente o papel da imprensa na construção da imagem de Elizabeth como “revolucionária” e tratada como a “queridinha” do Vale do Silício e dos meios de comunicação, sendo destaque nas capas de revistas como Fortune, Forbes e Inc., com abordagens que promoviam de forma exagerada os méritos e qualidades da startup Theranos e de sua fundadora.

Criou-se um ciclo favorável à empresa, que quanto mais era notícia e associada aos investidores de peso, entre eles a família fundadora da rede global de varejo WalMart, via seu valor de mercado crescer. Qual a ética desta cobertura jornalística e das ações de Elizabeth que mascaram a realidade por anos? Onde estava o jornalismo investigativo? Até que ponto a imprensa pode ser “seduzida” por fortes estratégias de autopromoção?

Foi apenas em 2015, quando um grupo de ex-funcionários da empresa Theranos entrou em contato com o Wall Street Journal e relatou ao jornalista John Carreyrou sobre as fraudes e os problemas com os resultados dos exames, que a investigação jornalística começou e levou 10 meses para a matéria ser publicada.

O tal equipamento “revolucionário”, chamado de Edison, na realidade, estava sendo utilizado em menos de 10% dos testes efetivados pela Theranos. Por outro lado, a maioria dos testes foi realizada em analisadores adquiridos de outras empresas do segmento, como a Siemens AG. Todo esse trabalho investigativo deu origem ao livro “Bad blood: fraude bilionária no Vale do Silício”, lançado no Brasil em 2019 pela Editora Alta Book. O autor explica que entrevistou mais de 150 pessoas.

Este um caso ocorreu nos Estados Unidos, mas poderemos encontrar similares no mercado brasileiro. É possível fazer referência às matérias sobre o “bilionário” Eike Batista.

Podemos refletir a respeito do espaço que a imprensa proporcionou ao discurso exagerado e à ambição de Elizabeth Theranos. Devemos refletir ainda sobre a relevância que o jornalismo investigativo desempenha na descoberta dos dados e informações que são mantidas sob sigilo, quando recebe denúncias graves vindas de fontes confiáveis.

A fraudadora, termo que posso usar a partir de sua condenação, se cercou de executivos de grande reputação e usou de seu carisma para “enganar” o mundo (podemos refletir também sobre o quanto era melhor para os investidores acreditar nas “promessas” da garota prodígio do Vale do Silício). Esta é uma das coberturas jornalísticas da qual a imprensa precisa fazer sua autocrítica.




*Chris Santos é uma profissional com mais de 30 anos de experiência em comunicação corporativa, assessoria de imprensa e marketing digital. Com bacharelados em Relações Públicas e em Ciências Sociais, pela USP; especialização em Gestão de Processos Comunicacionais (USP); MBA em Gestão de Marcas (Branding), pela Anhembi-Morumbi; e mestre em Comunicação e Política, pela UNIP. Tem se dedicado ao estudo de tendências nas áreas de marketing digital, jornalismo, comunicação e política e tecnologias da comunicação e informação.

sexta-feira, 15 de abril de 2022

Médicos Sem Fronteiras lança revista da Turma da Mônica sobre Doença de Chagas

Publicação, feita em parceria com o Instituto Mauricio de Sousa, marca o dia mundial de combate à enfermidade, que afeta de 6 a 7 milhões de pessoas no mundo


A Turma da Mônica está em uma nova aventura. Dessa vez, os personagens infantis vão aprender e ensinar aos leitores tudo o que é importante saber sobre a Doença de Chagas, uma enfermidade que afeta milhões de pessoas ao redor do mundo, mas que muitas pessoas não conhecem. A edição temática da revistinha, produzida por Médicos Sem Fronteiras (MSF) em parceria com o Instituto Mauricio de Sousa, traz informações em linguagem simples e acessível para que pais e filhos entendam quais são as formas de prevenção, sintomas e tratamento. A publicação foi lançada hoje (14/04) no Dia Mundial da Doença de Chagas e ficará disponível para download no site da organização (msf.org.br).

“Chagas afeta pessoas em situação de vulnerabilidade com pouco acesso aos serviços de saúde e à informação. Muitas não sabem que contraíram a doença, pois não foram diagnosticadas. Elas correm sérios riscos de desenvolver a sua forma crônica, que pode levar a complicações e, em alguns casos, à morte”, explica Vitória Ramos, gerente de Advocacy e Assuntos Humanitários de MSF. Atualmente, nem mesmo as faculdades que formam profissionais de saúde tratam da patologia nos cursos. “A desinformação é muito grande, por isso é importante falar com todos os públicos e em diferentes formatos sobre essa doença que ainda existe. E a revistinha é uma oportunidade de atingir as crianças e os familiares que também leem para os pequenos”.

Para Amauri Sousa, diretor executivo do Instituto Mauricio de Sousa, colocar os personagens em uma história educativa é muito gratificante. “Sabemos que uma campanha de saúde com a Mônica, o Cebolinha e o Cascão traz uma curiosidade maior, pois desperta o imaginário de muitas gerações que cresceram lendo gibis e podem fazer o mesmo com seus filhos. Com a publicação, a mensagem chega em muito mais pessoas”, afirma Amauri.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), de 6 a 7 milhões de pessoas no mundo estão infectadas pelo parasita Trypanosoma cruzi, que provoca a Doença de Chagas. E, aproximadamente, 10 mil mortes serão causadas por enfermidades que estão relacionadas a Chagas todos os anos.

Embora os números sejam superlativos, a enfermidade faz parte de um grupo de doenças negligenciadas que atinge países pobres e mais comumente áreas fora dos grandes centros urbanos. Na América Latina, a patologia é endêmica nos 21 países, colocando 75 milhões de pessoas da região sob risco de infecção.

Quando falamos de tratamento, os medicamentos atuais, descobertos há meio século, são especialmente eficazes durante a fase aguda, quando o parasita está presente no sangue, e no início da fase crônica da doença, quando ele se aloja em órgãos e tecidos. Mas, sem a terapia, os pacientes podem desenvolver os quadros graves com complicações cardíacas e digestivas, por isso é tão importante saber quais são os sintomas e realizar o diagnóstico o mais cedo possível.

No Brasil, a falta de dados epidemiológicos também é um problema grave. Mesmo após forte pressão de especialistas e da sociedade civil, incluindo Médicos Sem Fronteiras, a notificação dos casos crônicos ainda não está sendo implementada. “Com a subnotificação, não sabemos quantos brasileiros estão com a doença ou onde eles estão. Esse desconhecimento agrava a falta de políticas públicas adequadas para essas pessoas que poderiam ser encontradas”, explica Vitória. Por isso, é tão importante falar sobre a Doença de Chagas não só no dia 14 de abril, mas durante todo o ano e para vários públicos.

A publicação também conta com o apoio da Fiocruz e da Iniciativa Medicamentos para Doenças (DNDi).

quinta-feira, 14 de abril de 2022

Instituto Chamex abre as inscrições gratuitas para o 47º Concurso de Redação

Em parceria com o Redação Online, o Instituto Chamex selecionará redações enviadas por estudantes de escolas públicas de todo o Brasil; em paralelo, auxiliará os alunos a melhorarem o desempenho no ENEM.


Destinado a estudantes do Ensino Médio de escolas públicas estaduais e municipais de todo o país, o Concurso de Redação está com as inscrições abertas para a sua 47ª edição. Conduzida pelo Instituto Chamex, a iniciativa conta com a parceria do negócio de impacto social Redação Online e tem o objetivo de incentivar jovens estudantes a transformarem as próprias realidades por meio da escrita.

As inscrições são gratuitas e podem ser efetuadas de 12 de abril até 31 de agosto de 2022 no endereço concursochamex.redacaonline.com.br. Cada aluno deve acessar o site, fazer o cadastro, acompanhar as dicas especiais para uma boa escrita e enviar as redações na plataforma; os textos podem ser on-line ou escritos no papel Chamex e digitalizados. A 47ª edição do Concurso tem como tema “Se você tivesse a oportunidade de escrever uma página de um livro, como e o que escreveria sobre o mundo pós pandemia?”.

A melhor nota do país será premiada com um vale-compras no valor de R$ 1.500,00 e o melhor desempenho de cada Estado será premiado com um vale-compras de R$ 500,00 – ambos para a aquisição de livros e de material didático. Além disso, os 100 melhores alunos ranqueados receberão um plano de videoaulas e correções de textos do Redação Online; as três escolas com maior número de alunos participantes receberão, cada uma, 10 caixas de papel A4 Chamex e doação de livros no valor de R$ 5 mil. Os 20 professores com o maior número de alunos inscritos ganharão um curso on-line de treinamento para correção de redação no modelo ENEM e um vale-compras no valor de R$ 300,00.

O Concurso de Redação é válido em todo o território nacional (26 Estados da Federação e o Distrito Federal). A edição de 2021 contou com a participação de mais de 40 mil estudantes de escolas públicas inscritos, mantendo o destaque de maior concurso no Brasil em redações corrigidas. Além disso, o projeto impacta socialmente a vida de milhares de estudantes de todo o Brasil, principalmente se considerarmos os reflexos negativos da pandemia na educação do país com a suspensão das aulas. Ainda que neste cenário desafiador, o Concurso de Redação Chamex se adaptou e continuou contribuindo para a adequada preparação de milhares de alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

A iniciativa, segundo Mariana Claudio, gerente-executiva do Instituto Chamex, reforça a importância de fortalecer nos estudantes a capacidade de análise crítica da sociedade atuando como cidadãos ativos e agentes de mudança. “A parceria com o Redação Online amplia a nossa capacidade de alcance, impactando cada vez mais jovens, além de trazer ao concurso o diferencial de preparação de alunos e professores, indo muito além apenas da premiação. Nosso objetivo é capacitar os jovens e transformar realidades por meio da educação”, afirma Mariana.

Para que os alunos possam se preparar melhor para participar do Concurso estão sendo oferecidas videoaulas específicas para a escrita da redação do ENEM. Cada inscrito receberá um login e uma senha de cadastro no site; os conteúdos estarão disponíveis a partir de 12 de abril, data do lançamento.

Assim como as aulas, os critérios de correção também estão de acordo com os estabelecidos pelo ENEM. “Participar do Concurso de Redação do Instituto Chamex foi uma experiência única e que levarei por toda a minha vida. Fui motivada a participar por minha professora de Língua Portuguesa e também por meus familiares. Graças ao concurso, pude aprimorar as minhas habilidades de escrita e aprendi a ter mais confiança em mim mesma”, comenta Ana Lívia, terceira colocada nacional da 46ª edição do Concurso.

Ao final do processo, os três estudantes com melhor classificação serão convidados a participarem de uma banca on-line, com o objetivo de expor quais foram suas referências, intenções e perspectivas diante do tema. Após essa etapa, será́ selecionado o grande vencedor nacional. Os resultados serão divulgados em 10 de outubro de 2022, no site concurso chamex.redacaonline.com.br.

Sobre o Instituto Chamex

Criado em 2007, o Instituto Chamex coloca a criatividade como o elemento central para a construção de uma educação mais acessível, inclusiva, equitativa e transformadora. Atuando em rede com diversos parceiros, o Instituto fomenta o desenvolvimento de estudantes, professores e agentes da educação do ensino infantil, fundamental e médio, apoiando projetos nacionalmente e desenvolvendo projetos localmente. Dessa forma, busca transformar inúmeras realidades, possibilitando um novo futuro para milhares de brasileiros.

O Instituto Chamex é mantido pela Sylvamo Brasil, produtora dos papéis para Imprimir e Escrever Chamex, Chamequinho e Chambril e segue suas diretrizes de responsabilidade social, sustentabilidade e ética, engajando seus profissionais e apoiando as comunidades, pois acredita que por meio da criatividade e da educação é possível impulsionar mudanças e acelerar soluções para transformar a vida de muitas pessoas. Nesses 14 anos de existência, foram investidos mais de R$ 14 milhões em projetos diversos, com mais de 360 mil pessoas impactadas em todo o Brasil. Confira mais informações sobre o Instituto Chamex no site https://institutochamex.com.br.

quarta-feira, 13 de abril de 2022

Terra estreia campanha que traz novo posicionamento como plataforma mediatech e rebranding da marca

Projeto com base data driven direciona as mudanças de conteúdo, projetos especiais, layout mais moderno e entrega mais inteligência de mídia

Campanha traz uma estratégia completa de comunicação e marca início do reposicionamento da plataforma


O Terra, uma das maiores plataformas de conteúdo do país, anuncia mudanças em seu posicionamento editorial e um processo de rebranding da marca. A partir de agora, o Terra se apresenta ao mercado brasileiro como uma mediatech, que usa a inteligência de negócio para potencializar a entrega de conteúdo e publicidade. Para marcar esse novo momento, uma grande campanha estará nos principais meios de comunicação do país, com o mote “O que acontece na Terra, está no Terra”. A campanha criada pela VMLY&R, traz um remake da trilha poderosa lançada em 2006, agora com uma linguagem moderna e contemporânea, aliada a cenas que mostram diversidade, com pluralidade de personalidades e cenários, ampliando o significado das mensagens que estão em pautas relevantes hoje em dia.


Confira aqui: https://www.youtube.com/watch?v=W4rNSyx3Hjo


“Além do novo posicionamento como mediatech, que une de forma inteligente a entrega de conteúdo e publicidade, proporcionando as marcas a garantia de um plano de mídia completo e mais direcionado, o Terra também traz um novo visual e logomarca, que trazem linhas mais fluídas e fonte mais atualizada, para acompanhar o novo momento da plataforma, mas mantendo a herança e o reconhecimento da marca”, explica Claudia Caliente, diretora do Terra. O novo layout está mais leve, moderno e com uma experiência de navegação mais fluida, repensado em todos os formatos, principalmente para o mobile, onde estão nove de cada dez usuários que trafegam entre todas as plataformas. As mudanças surgem já na capa com novos formatos como webstories, nova fonte e identidades novas para cada vertical de conteúdo.

O editorial traz novos pilares, focados ampliar conversas como representatividade, pluralidade, muito local de fala e consciência. Entre as novas verticais de conteúdo do Terra, estão a Coletividade que tem o projeto “Visão do Corre”, que apresenta conteúdos com o objetivo de amplificar as vozes e as iniciativas da população que vive nas favelas e periferias do nosso país, com materiais produzidos por profissionais oriundos das “quebradas” do país; também a vertical “Nós”, espaço dedicado a despertar reflexões e combater discriminações. O conteúdo dará visibilidade a pautas sobre mulheres, pessoas negras, indígenas, LGBTQIA+, pessoas com deficiência e 50+. O Terra segue inclusive com as verticais já repaginadas de games, o “Game On” e Diversão com o “Terra Música ao Vivo”. Em breve, novas verticais devem entrar no ar, ampliando o leque de temas com conteúdo exclusivo na plataforma.




Um novo time de colunistas já chegou ao Terra para promover reflexão e debate em torno dos assuntos que movimentam o noticiário, e reforçar a oferta de conteúdo opinativo. Pablo Miyasawa e Barbara Gutierrez levantam os temas que permeiam o crescente mercado gamer. Marcia Rocha, Cris Guerra, Luã Santana, Joice Berth e Nathalia Santos desatam os vários nós da diversidade e da representatividade, com autoridade e lugar de fala. Roberta Camargo e os gêmeos Eduardo e Leonardo, da coluna Vegano Periférico, lançam seu olhar atento e crítico sobre o movimento das periferias e quebradas do nosso país.

Além disso, o Terra está evoluindo em novos modelos de parceria de conteúdo em busca de produtores autênticos, agências especializadas, sites segmentados, novas vozes e influenciadores que possam colaborar com pensamento crítico e diversidade de ideias. Em uma das várias estratégias da área de conteúdo, o Terra pretende abrir uma janela para a produção de parceiros regionais, e oferecer uma curadoria diversificada em todas as plataformas. Desde janeiro de 2022, parceiros como Agência Nacional das Favelas, Alma Preta, Agência Mural, Carta Capital e Mais Goiás compartilham sua produção própria e diversa com as novas verticais temáticas.

“O Terra, por todo o seu alcance e conteúdo, tem um enorme potencial de transformação da sociedade e isso ganha ainda mais força nesta nova fase do portal. Criamos uma campanha que reflete toda essa agilidade, pluralidade e capacidade de gerar conexões e discussões conscientes e positivas entre as pessoas”, afirma Rafael Pitanguy, CCO da VMLY&R.


FICHA TÉCNICA

Cliente: Telefônica Brasil S/A

Produto: INTERNET (PF/POS)

Título: Nossa Terra

Duração: 60”

Agência: VMLY&R

CCO: Rafael Pitanguy

ECD: Jeferson Rocha, Rafael Gil, Rodrigo Almeida

Direção de Criação: Pedro Lazera

Head of Art: Marcos Magario

Redator: Rodrigo Dorfman

Dir. Arte: Elder Caldeira, Tales Lima

Atendimento: Leonardo Balbi, Aline Garcia, Carolina Rangel, Rafael Cardoso, Camila Zaim

Cliente: Marina Daineze, Gabriela Cavalcante, Bianca Formiga, Marina Madureira, Giovani Pilla

Planejamento: Sumara Osório, Paulo Vita, Marcelo Germano, Giovanni Cozer

Mídia: Elenice Galera, Diego Freire, Danilo Pizardi, Gabriele Prospero, Julia Santana, Rafael Rodrigues

Produção: Nicole Godoy | Anderson Rocha | Ian Inglez | Guilherme Rodrigues | Bárbara Emery | Giovanna Cioca | Bianca Aguiar | Cléo Gonçalves | Raphaela Valentim | Fernando Pavan | Débora Costa

Produtora: Saigon Filmes

Diretor: Nico Matteis

Diretora 2a unidade: Livia Stacciarini

Produtor Executivo: Marcelo Altschuler, Carol Pessini

Atendimento: Fernanda Gomes, Rafael Costa, Karin Diniz, Giovanna Saad, Michele Pavão

Coordenação de Produção: Katiucia Soares, Jucilene Almeida, Thalita Machado

Diretor de Fotografia: Vagner Jabour

Diretor de Fotografia 2a unidade: Rafael Malta

Drone: Júnior Lopes

Steadicam: Thiago Romualdo

Diretor de Arte: Jaqueline Ramieli

Assistente de Direção: Bruno Romboli e Emanuele Fenerich

Assistente de Direção 2a unidade: Priscila Moreira

Diretor de Produção: Rodrigo Guimil

Figurinista: Milton Fucci e Carol Donato

Produtora de Casting: Rafael Myga

Produtor de Locação: Felipe Sá

Produtor (a) de Objetos: Marystela Baiôco

Maquiador: Roger Garcia

Coordenação de Pós-Produção: Virgini Fares

Atendimento de Pós- Produção: Claudia Rocha Finalizador: Henrique Gomes

Montador: Kauê Kabreira

Assistente de Ilha e Montagem: Paulo Miranda

Assistente de Ilha e After: Léo Garcia e Enrique Augusto

Cor: Acauã

Finalizadora: Plural Antfood Music & Sound Design

Diretor de Produção Musical: Lou Schmidt e Fernando Rojo

Produtor Executivo: Renato Castro e Christiane Rachel

Coordenação: Monique Munhoz

Finalização: Bruno Broaska, Fabian Jorge, Pablo Homem de Mello e Tiago Lins



GPS - direitos da obra lítero musical “Qual é a sua Terra? “


Data de produção: março / 2022

terça-feira, 12 de abril de 2022

Bracell assina compromisso para proteção da Biodiversidade da Mata Atlântica e Cerrado Paulista

Em parceria inédita, mais de 64 mil hectares contarão com a ajuda e incentivo da companhia que tem como premissa ações ligadas à sustentabilidade




A Bracell, líder global na produção de celulose solúvel e integrante do grupo de empresas RGE, assinou o termo de compromisso para patrocínio de ações para a proteção de mais de 64 mil hectares de matas nativas em parceria com a Fundação Florestal. A iniciativa da companhia está alinhada com sua estratégia de negócio, que tem como um de seus objetivos centrais reforçar a importância das boas práticas para a proteção da biodiversidade.

João Augusti, Gerente de Meio Ambiente e Certificações da Bracell, conta que a priori o contrato tem duração de doze meses, mas já estamos estudando um Acordo de Intenções para prolongar por mais 5 anos, e contará com ações bem específicas considerando a localização e o tamanho das Unidades de Conservação. “Para as unidades menores, onde a principal pressão são os incêndios florestais, iremos apoiar com construção e manutenção de aceiros, além de equipamentos de controle de incêndios, placas de sinalização e workshops para brigadistas entre vizinhos e comunidades e vamos fornecer um projeto executivo de ponte para primatas cruzarem estradas a salvo, ajudando o acesso destes às copas das árvores sem risco de atropelamento ou isolamento entre áreas. Já para as áreas maiores, vamos oferecer estudo e recomendações para o controle de espécies invasoras que causam impacto à biodiversidade local e, ainda, será oferecido um monitoramento remoto da fauna, com a utilização de gravadores e câmeras trap, contribuindo para a identificação de espécies e monitoramento de indicadores de qualidade ambiental das unidades de conservação.

A Fundação Florestal, que está ligada à SIMA – Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, nasceu para a conservação e produção florestal do Estado de São Paulo e tem como finalidade o manejo e a ampliação das florestas de produção em torno do território do Estado paulistano. Com essa premissa, suas ações caminham no apoio, promoção e criação de iniciativas integradas com empresas como a Bracell, que tem como essência, a conservação ambiental, a proteção da biodiversidade, o desenvolvimento sustentável, a recuperação de áreas degradadas e o reflorestamento de locais ambientalmente vulneráveis, realizando parcerias com órgãos governamentais e instituições da sociedade civil.

Rodrigo Levikovicz, diretor da Fundação Florestal, celebra a grandiosidade do projeto. “Essa é a maior ação de patrocínio que firmamos desde que o programa foi criado”, comenta. O diretor complementa citando a expectativa de que outros players do segmento sigam o exemplo da Bracell: “esperamos que essa iniciativa de parceria incentive outras companhias a investir em iniciativas que tragam melhorias significativas para sociedade e meio ambiente”, finaliza.

Pedro Stefanini, vice-presidente sênior da Bracell, se diz orgulhoso do caminho que a companhia está trilhando, principalmente quando se une a projetos que impactam positivamente o social e ambiental. “A parceria com a Fundação Florestal é uma retribuição ao Estado de São Paulo, que sempre acolheu e acreditou em nossos projetos", comenta.

Os mais de 64 mil hectares a serem preservados se concentram na região de Bauru, interior de São Paulo, cidade próxima à filial da Bracell, na cidade de Lençóis Paulista. Áreas em outros sete municípios também receberão ações desta parceria como Gália, Alvinlândia, Águas de Santa Bárbara, Anhembi, Capão Bonito, São Miguel Arcanjo e Sete Barras, todos no interior de São Paulo.

Serão beneficiadas 4 Estações Ecológicas (EE dos Caetetus, EE Barreiro Rico, EE Sebastião Aleixo, EE Águas de Santa Barbara); 1 Unidade de Conservação Refúgio da Vida Silvestre (RVS Aimorés - gleba II – Jardim Botânico) e 2 Parques Estaduais (PE Carlos Botelho e PE Nascentes do Paranapanema).

segunda-feira, 11 de abril de 2022

Foto de Quebrada: Festival premia imagens das periferias brasileiras

Projeto selecionará 30 artistas de todo o Brasil para exposição em Ceilândia-DF. Inscrições abertas até 20 de abril





O Festival Foto de Quebrada celebra a fotografia que representa diferentes vivências de artistas moradores das periferias brasileiras. Em 2022, serão selecionadas 30 pessoas de diferentes regiões do Brasil para a Mostra Principal do Festival, que acontece na Galeria Risofloras, na Praça do Cidadão, em Ceilândia-DF.

De temática totalmente livre, os trabalhos selecionados concorrem a seguinte premiação: dois prêmios de R$ 2 mil para escolha da curadoria e dois prêmios de R$ 2 mil para escolha popular. As inscrições estão abertas até o dia 20 de abril. Curadoria por Cled Pereira, Ros4, Webert da Cruz e Rayane Soares

“O projeto Foto de Quebrada foi enriquecedor. Nunca achei que o meu estilo de fotografia pudesse ser contemplado e o festival abriu portas para todos os tipos de linguagem, ressaltando as pluralidades e as pessoalidades dentro e fora da fotografia. Além da oportunidade de ter conhecido várias pessoas que eu sou fã e que somam na caminhada não só na fotografia, mas na vida”, afirma a fotógrafa Aya Villena, premiada na primeira edição do Festival Foto de Quebrada.

A programação ainda conta com três dias de oficinas e bate papos. O regulamento e o formulário de inscrição estão disponíveis no site www.fotodequebrada.com.br. Compartilhe o seu olhar.

O Festival Foto de Quebrada é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF), produção do Coletivo DUCA e apoio da Rede Urbana de Ações Culturais (Ruas) e Jovem de Expressão.

Cronograma:



2ª edição Festival Foto de Quebrada

Inscrições: até 20 de abril
Festival Foto de Quebrada: 12, 13 e 14 de maio www.fotodequebrada.com.br


sexta-feira, 8 de abril de 2022

Macaco bugio ferido é resgatado e encaminhado para centro de atendimento à fauna silvestre no Paraná

O Instituto Água e Terra (IAT) foi acionado para atender um macaco bugio encontrado machucado em Antonina, no Litoral do Paraná. A espécie está na lista daquelas ameaçadas de extinção. O IAT foi comunicado através do Escritório Regional do Litoral e contou com o apoio de veterinários voluntários..
Macaco bugio na Clínica Veterinária
Escola da Universidade Positivo, em Curitiba
Crédito: divulgação/Universidade Positivo

O macaco apresentava queimaduras nas patas dianteiras e fratura exposta na pata traseira, necessitando de atendimento emergencial e especializado. Após ser resgatado, foi encaminhado pelo Setor de Fauna para a Clínica Veterinária Escola da Universidade Positivo, em Curitiba, onde passou por exame de sangue e radiografia.

O primata apresentava uma ferida em uma das mãos, além de uma fratura de membro pélvico (tíbia). “Foi necessário anestesiá-lo para segurança do animal e das pessoas envolvidas, e instaurado tratamento para dor”, disse André Saldanha, médico veterinário especializado em animais silvestres.

Nesta terça-feira (05), macaco foi transferido ao Centro de Atendimento à Fauna Silvestre (CAFS) de Guarapuava (Centro-Sul), onde passará por cirurgia de reparação da pata lesionada e reabilitação pós-operatório.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), Everton Souza, destaca o papel dos CAFS no atendimento à fauna vitimada. “Os animais vítimas de crimes ambientais ou de acidentes encontram hoje suporte no Estado. As universidades possuem equipe competente e recursos de primeira mão, o que aumenta as chances de poderem voltar ao seu habitat”, disse.

Macaco bugio ferido e resgatado no litoral do Paraná
Crédito: divulgação/IAT
O Paraná possui, atualmente, cinco CAFS instalados em Londrina, Guarapuava, Cascavel, Curitiba e Maringá, além de um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Ponta Grossa. “Essa rede de atendimentos visa sempre a reinserção dos animais na natureza. As estruturas hospitalares e a expertise dos técnicos que essas unidades possuem oferecem um suporte importante ao Estado na manutenção da fauna silvestre”, afirmou a chefe da Divisão de Fauna do IAT, Paula Vidolin.

RESGATE – O pedido de ajuda ao macaco partiu de um morador da comunidade do Rio do Nunes, em Antonina. “De acordo com o relato dele, o animal havia caído ou encostado em um fio de alta-tensão e estava machucado. Quando a equipe do IAT chegou ao local, identificaram que se tratava de um bugio, mas ele estava em uma mangueira, árvore que possui cinco metros de altura, dificultando sua retirada”, contou a chefe do Escritório Regional do IAT no Litoral, Rosângela Frega.

O IAT orienta que sempre que um animal ferido for encontrado é preciso buscar informações junto aos órgãos competentes, como o IAT (escritórios regionais) e a Polícia Ambiental. É fundamental passar o máximo de informações possível para receber a orientação correta de como agir e verificar a necessidade de encaminhar uma equipe de resgate.